O impacto das palavras

12/04/2015 2 Maçãs

Eh pá, isto está difícil... começo a escrever posts, penso "hummmm, é melhor não publicar isto" e apago tudo. Acho que era muito mais fácil quando não pensava no que as outras pessoas poderiam pensar ao ler certas coisas - agora tenho muito mais consciência do impacto que as palavras podem ter. Se já na vida real digo algo com uma intenção e distorcem tudo para parecer que disse outra coisa, quanto mais quando as palavras são escritas, e não entoadas; além de que, como já sabemos, tudo o que surge na Internet, na Internet permanece.

Mas não consigo deixar de relatar uma destas situações caricatas...

... que ainda no outro dia me aconteceu; em plena aula de Português, estava a professora a falar sobre a vida no século XVIII, os leques, os sinais, a higiene, etc. e tal, e os meus ricos coleguinhas a conversarem à minha volta. Mas se pensam que era aquela conversa sussurrada entre a pessoa da frente e a de trás, estão muito enganados! - estavam, literalmente, a CONVERSAR, como se nada fosse, a rir e a sei-lá-mais-o-quê. Eu, que não sou pessoa de me chatear ou de me meter nestes sarrabulhos, pensei que, ao aperceberem-se de que a professora estava a falar de algo importante, se fossem calar; QUAL QUÊ!, 'bora continuar enquanto não nos mandarem calar. E foi aqui que eu, já passada porque não conseguia ouvir nada do que a professora estava a dizer, me virei para o lado e disse, baixinho (e a conter a irritação), "olhem, podem calar-se, se faz favor, para eu conseguir ouvir a professora?". A conversa estava de tal forma animada... que nem me ouviram!

asajhdgjfagdjh (o equivalente a um aaaaaaaaaarrrrrrhhhhh! que só se ouviu dentro da minha cabeça)

Enfim! Neste ponto, agora já meeeeesmo chateada, elevei mais a voz e repeti, "podem calar-se, se faz favor, que eu quero ouvir a professora!" - e pronto, foi desta, não se ouviu mais um piu.

Lá fora, disseram-me: "escusavas de ser tão bruta, estávamos só a conversar".

...

Atiro-me da ponte, ou... atiro-me da ponte?

2 Maçãs

  1. Confesso que por vezes também me tenho que conter com o que escrevo no blog!
    Quanto à conversa na aula, tiveste toda a razão! A vantagem das aulas na universidade é que já só vai quem tem interesse e não há tantas situações como essa que descreveste! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a chamada liberdade de expressão... com o senão do "a nossa liberdade termina onde começa a liberdade dos outros". ;)

      Ora aí está uma boa notícia! Vamos ver se para o ano já posso concordar contigo, ehehehe!

      Eliminar

Olá! Obrigada pelo teu comentário no Pomarão. :)