A propósito de poemas...

28/09/2014 1 Maçã
o que eu me tenho rido com os meus próprios "poemas" (se é que tal designação merecem) de há uns quantos anitos atrás! Ai, a sério, as coisas que eu escrevia... se não estivessem aqui publicadas, eu diria que nunca haviam sido escritas por mim!

Confesso que, se por um lado ler alguns posts me traz um grande sorriso ao rosto, por outro lado... escrevia cada coisa mais tétrica, por vezes! Ora reparem:
A vida está cara
Ninguém a quer parar
Estamos no frio
Não me venhas chatear
Eu estou triste
Um sentimento
Eu sinto
Neste dia diferente
Não consigo adivinhar
A felicidade
Que deve estar a chegar
Tristeza
Vai-te embora
Eu não gosto de ti
Fazes-me ir lá para fora
Não gosto de ti
Vai-te embora
Quero a felicidade
Não quero a crueldade
Não fiques aí
Vai-te divertir
Não fiques como eu
Triste, neste lugar
A felicidade
Demora a chegar
Poema "Tristeza e Felicidade", escrito a 31/10/2006.

O mundo morreu.
Foi num repente
e sem avisar ninguém
que tal aconteceu. 
E foi também
de repente
que eu me fiz gente
e o enfrentei. 
De que vale ter o mundo,
quando é o mundo que manda
e a natureza que enforca? 
De que vale ser forte,
e endireitar o norte,
quando há vida e há morte?
Poema "O Mundo", escrito uns dias antes de 03/09/2011.

Ahahaha, uma mente muito perturbada, portanto... Todavia, a minha parte preferida é mesmo a "nota" (ou o post-scriptum, como lhe preferirem chamar) que coloquei, originalmente, abaixo do primeiro poema...
Nota: Eu não estou triste! É só a minha imaginação a trabalhar…
Acho que vou cair da cadeira de tanto rir!

1 Maçã

Olá! Obrigada pelo teu comentário no Pomarão. :)