Um guia sobre como passar de "menino" a "senhora" :)

11/08/2014 4 Maçãs

Há coisa de dois meses, na véspera do meu aniversário, fui à bilheteira de um dos teatros daqui da cidade buscar uns bilhetes que tinha reservado. Como já sei que antes dos concertos está sempre uma grande confusão, gosto de passar pela bilheteira algum tempo antes para levantar o(s) bilhete(s), não perdendo tempo, desta forma, naquela confusão que são as filas portuguesas (sim, porque se há coisa que o povo portuguesinho não sabe fazer, é uma fila indiana! - nunca me esqueci de quando fui ultrapassada duas vezes seguidas numa padaria...).

A parte mais interessante foi, sem dúvida, quando a senhora que se encontrava por trás do balcão se dirigiu à minha pessoa (eu, je, aqui o emplastro - como preferirem) como "menino". Ó menino isto, ó menino aquilo, atão e o quê que o menino deseja, etc, etc e tal. Eu, já habituada a confusões do género (ou será... "de" género? ehehehehe), não liguei muito à situação. Claro que quando a senhora me perguntou em que nome é que estava feita a reserva, lá se apercebeu do erro e se emendou muito, pedindo desculpa e afirmando, como se eu já não estivesse fartinha de saber, que "hoje em dia os rapazes usam todos cabelo comprido" e que "é da idade".

Vá, riam-se. Riam-se que tem piada. Relembro que isto sucedeu... na véspera do meu aniversário. Sim, pronto, não sou menina de saias. Sim, pronto, de costas, ao longe... sim, é provável que me confundam. Agora... de cara? Eh pá, doeu!

Enfim. Acontece. E eu já me teria esquecido do assunto se não fosse o que me aconteceu numa loja de tecnologia, em pleno centro comercial, há umas duas semaninhas. Sucede que recebi recentemente umas prendinhas muito especiais, daquelas que só se recebem em época de saldos e que ajudam a dar um "boost" à autoestima. Ora então, nesse mesmo dia, resolvi-me a estrear logo duas de uma só vez: um vestido e umas sandálias de cunha. Não mudei mais nada, que eu não sou corajosa o suficiente para me atrever a domar o meu cabelo, e ainda não me meti em aventuras com maquilhagens.

E... assim fui, para a dita cuja loja de tecnologia. Encontrava-me eu à procura de uns cabos midi e mais-não-sei-quê (aqueles que têm umas siglas mais manhosas, como hdmi's e afins), quando ouvi um sonoro "precisa de ajuda, senhora?" mesmo atrás de mim. Confesso que me virei a medo, à espera de encontrar outra "senhora" nas redondezas que explicasse o dito tratamento formal vindo de um funcionário da loja.

Não encontrei. E é assim, meus amigos (compinchas, leitores, vocês chegaram lá), que a nossa sociedade nos trata. Há quem nos chame jovens, adolescentes, raparigas, rapazes, "já estás quase uma mulherzinha"... e há quem não nos chame nada disso. Eu cá gosto do meu nome. E vocês, não?

4 Maçãs

  1. Conforme nos vêm assim nos tratam, eheh!
    Bem-vinda ao mundo das senhoras, ou senhoritas! :)

    ResponderEliminar
  2. Se continuares a usar camuflado, não te safas

    ResponderEliminar

Olá! Obrigada pelo teu comentário no Pomarão. :)