Enfim - ou a antropologia vs o ambiente

23/02/2014 0 Maçãs

Têm sido tempos difíceis, estes. Muito trabalho, pouco em que pensar sem ser na escola... e, ainda assim, cada vez que abro um jornal ou ouço uma notícia no rádio sou relembrada das tragédias e das desgraças que para aí vão no resto do país e do mundo. E não, não me estou só a referir a guerras e a confrontos que tais.

Hoje, por exemplo, não foi preciso ir muito longe para me aperceber disso mesmo.

Na aula de Biologia e de Geologia estivemos a analisar algumas notícias relacionadas com a matéria que andamos a dar (ocupação antrópica e problemas de ordenamento). Basicamente, lemos uma notícia sobre uma casa que está a cair devido a um deslizamento de terras (ou, como nós dizemos, movimento em massa) ocorrido após chuvas intensas na região (ehehehe, Leiria no seu melhor). E tudo porquê? Porque aparentemente já se tratava de uma zona de risco quando a casa foi construída, devido tratar-se de um terreno inclinado.

Mas a história ainda melhora: aparentemente, segundo se conta lá pela terra, a mesma casa terá sido construída por cima de uma NASCENTE. Exatamente, parece que nessa mesma localização existia uma nascente que foi soterrada e que, supõe-se agora, terá rebentado com as tais chuvas fortes e "abananado" os solos ali da zona. Resta referir que a obra foi autorizada e licenciada pela... Câmara Municipal de Leiria.

...

Com isto tudo, lá se foi a minha ideia de segurança.

P.S. Deixo-vos com o artigo do "Jornal de Leiria" do dia 20 de fevereiro de 2014.


Links úteis:

Pensar positivo

09/02/2014 1 Maçã

Era uma vez um Teste Intermédio de Física e Química A.
(e era uma vez um Teste Intermédio de Inglês, se a minha escola não tivesse decidido não o realizar)
Era uma vez um Teste Intermédio de Matemática A.
Era uma vez um Teste Intermédio de Biologia e Geologia.

Era uma vez o 11º ano dos alunos do curso de Ciências e Tecnologias, que, carregadíssimos até mais não com relatórios de atividades laboratoriais, com mini-fichas e questões de aula de matemática, com apresentações orais de português e de inglês, com trabalhos de grupo, com trabalhos de casa, com os ouvidos fartos de estar sempre a ouvir "o estudo é contínuo!" e "não deixem tudo para a última da hora!", têm de estudar não só para dois exames nacionais no final do ano, como também para três ou quatro testes intermédios que, por COINCIDÊNCIA, têm de calhar TODOS no mesmo período.

Eu sei que é bom pedir exigência, e esforço, e estudo, e trabalho, mas não acham que estão a exagerar um bocadinho? A desculpa é de que os testes intermédios "só" contam como um teste - esquecem-se de que falar em "teste formativo" ou em "teste intermédio" engloba diferentes níveis de pressão e de stress. Falam de que são um bom exercício de preparação para os exames - não o nego, mas há que saber quando e em que situações é que constituem, verdadeiramente, uma AJUDA para os alunos, em vez de um abominável homem das neves (ou deverei antes dizer "das maçãs-que-resolveram-cair-na-cabeça-do-Newton-e-que-atormentam-todos-os-alunos-que-estudam-Física-e-que-têm-de-calcular-o-trabalho-disto-e-daquilo-relacionado-com-a-simples-queda-desses-frutos-deliciosos") que transtorna qualquer um.

Desculpem. O TI é na quarta-feira e estou a entrar na fase de "desespero total". Aaaaiiiii...