Bye, bye 2013

31/12/2013 0 Maçãs

E é mesmo só isso. Boas entradas para todos! 

Ganhei o Monopólio!

27/12/2013 0 Maçãs

Não sei quem é que se lembrou de criar versões de famosos jogos de tabuleiro para o computador. Damas, xadrez ou até mesmo solitário são jogos que já todos nos habituámos a ter disponíveis à distância de um clique.

Com o aparecimento dos tablets e dos smartphones, tal começou a notar-se ainda mais, com a quantidade de jogos que surgiram para estas plataformas.  

...

A bem dizer, o meu jogo de tabuleiro preferido sempre foi o Monopólio. Infelizmente, acho que nunca consegui terminar um jogo quando jogava na escola, por exemplo, pois havia sempre alguma peça que faltava (acho que cheguei a jogar com mais do que uma versão em simultâneo, pois tinhamos de ir "roubar" casas e hotéis a uma caixa e a outra) ou não tinhamos tempo suficiente. Sim, que qualquer um destes jogos leva imenso tempo para terminar, a não ser que os jogadores desistam facilmente, o que raramente acontece. 

Basicamente, ontem estive entretida a jogar Monopólio no computador. E a melhor parte? Consegui ganhar todos os jogos. 

PS: Espero que tenham todos passado um bom Natal junto das vossas famílias. Já sei que devemos ter todos engordado uns quantos quilinhos, mas nada como um Ano Novo para nos lembrar de que devemos manter a boa forma!

The Goat Rodeo Sessions - isto sim, é boa música! ♫

20/12/2013 0 Maçãs


















The Goat Rodeo Sessions nos "NPR Music Tiny Desk Concerts"


E depois ainda há aquelas pessoas que perguntam o que é que a música tem de tão especial para encantar tanta gente por esse mundo fora. A música mexe com aqueles que a compõem, com aqueles que a tocam, com aqueles que a ouvem, com aqueles que a dançam, com aqueles que a apreciam. 

Reparem bem nas expressões e nos movimentos que qualquer um destes músicos, todos eles extraordinários, fazem enquanto tocam. Reparem bem na troca de emoções que há entre a música, os músicos e a plateia.

É só o que eu vos digo: reparem bem. E depois digam-me se é possível não gostar disto... 


The Goat Rodeo Sessions
Yo-Yo Ma – violoncelo
Stuart Duncan – violino, banjo
Edgar Meyer – contra-baixo
Chris Thile – bandolim, voz
Aoife O'Donovan – voz

Links úteis:
Wikipédia - The Goat Rodeo Sessions
Youtube - The Goat Rodeo Sessions

Até à próxima!

A história do sinal de STOP caído

19/12/2013 1 Maçã

Alguma vez já vos aconteceu contarem-vos uma coisa tão caricata, tão caricata que a única coisa que vos apeteceu fazer a seguir foi desatar a rir? Se sim, com certeza que ainda se lembram do que aconteceu... Deixem-me adivinhar - foi um fartote de riso. Ehehehe, eu não disse que adivinhava? 

Pois bem, foi isso mesmo que me aconteceu ontem. Começando do princípio, o que sucedeu foi que eu e uma amiga minha vínhamos a descer umas escadas, enquanto nos dirigíamos para o Orfeão, e nos apercebemos da presença de outra amiga nossa lá em baixo a apontar numa determinada direção. E o que tem isto de relevante para a história? Bom, o engraçado é que até acabámos a comentar uma com a outra que até parecia que a nossa já referida amiga estava a dar indicações a alguém de como chegar a algum lado. Afinal, como viemos a perceber, não era bem isso... 

Descemos as tais escadas e caminhámos na sua direção. Ora, qual não foi o nosso espanto quando a encontrámos muito transtornada, numa mistura de emoções em que não sabia se havia de rir ou de chorar, e, ainda assim, ela rapidamente lá nos foi capaz de explicar o que tinha acontecido. E o diálogo decorreu mais ou menos assim...

- Então, que se passa?
- Oh, olhem para ali... [aponta para uma esquina] Estão a ver aquele sinal de STOP? Não estão, pois não?
- Não...
- Pois, é que eu vinha a descer a rua e distraí-me a olhar para a I. que vinha a passar do outro lado da estrada,...
- ... sim...
- ... bati contra o sinal de STOP e o sinal caiu!

É verdade. Nós ainda olhámos umas quantas vezes para confirmar, mas lá estava efetivamente o sinalzinho caído no chão, apenas com o pauzinho muito bem direitinho no ar, como que para afirmar que lá devia estar o dito cujo sinal bem colocado.

- E, ainda por cima, estavam a passar uns senhores dentro de um carro que desataram a rir e a apontar!

Ahhhh, se já estavam a achar que a coisa não podia ficar mais engraçada, estão enganados!

- E agora? Aquele sinal estava numa esquina, agora as pessoas não prestam atenção, há acidentes e-e-e-e...
- ... ohhhh, nãoooo...
- ... e-e-e eu é que tenho a culpa! Sou uma assassina!

Acho que nem vale a pena dizer que a partir deste ponto não consegui conter mais o riso e me desmanchei a rir logo ali, no meio da rua, a apontar para um sinal de STOP caído no chão. 

Rebelde que nem eu.

Lena, a culpa não é tua ♫

02/12/2013 0 Maçãs

Não há desculpa.

Ou talvez haja. Talvez o facto de estar atafulhada de trabalho sirva como desculpa, ou pelo menos como amenizante da situação. Talvez, se não tivesse tantas ideias dançantes na cabeça, as coisas fossem diferentes. 

Se estou sossegadinha a estudar Filosofia, vêm-me semínimas e colcheias e semicolcheias e apogiaturas e retardos e temas e respostas e fugas e corais à cabeça. Se estiver com sorte ainda tenho direito a ouvir andamentos completos de sonatas de Bach, ou se estiver num dia mesmo bom até o 4º Andamento da Sinfonia Fantástica de Berlioz me aparece à frente, estampadinho na minha mente à espera que eu me deixe levar e me distraia do meu estudo sobre a demonstração e a argumentação. Não tem piada. Há coisas mais importantes do que deliciar-me com aquele maravilhoso tema dos violoncelos. Ou não... 

Se estou sossegadinha a estudar Matemática, vêm-me lançamentos horizontais e quedas livres e ondas sonoras e velocidades angulares e frequências angulares que-só-por-acaso-têm-o-mesmo-símbolo-das-velocidades-angulares-e-me-trocam-toda-quando-me-quero-lembrar-do-nome-e-me-baralho-toda-a-dizer-velocidade-ou-frequência e comprimentos de onda e frequências e períodos. Ah, e é certo e sabido que se me ponho a estudar Física e Química A, vêm-me equações de 2º grau e círculos trigonométricos e funções seno e funções cosseno e fun-

Não interessa. A questão é que estava a estudar Português, e veio-me à cabeça o Pomarão. Oh pá, não escapo. Tanta pressão, tanta pressão para fazer tudo e, depois... é o que se vê. Vá lá que uma ou outra coisa ainda me corre bem, porque aqui há uns dias estava com uma vontade de me atirar para um poço (vá, vá, brincadeirinha!) que nem vos digo nem vos conto. Enfim. 

Não há hipótese, a minha mente anda toda à volta de "não-não-não", "ora bolas", "porque é que não fiz isto antes", "nãaaaaooooooo!" e é assim que o 11º ano vai passando por mim. Se me virem com cabelos brancos, já sabem a razão. 



















Boss AC - Lena (A Culpa Não É Tua) feat. Gutto


Não acredites no que vês
Segue o teu caminho como és
A culpa não é tua 
Lena... Lena...
ATC 2, lembram-se desta música? 

Até à próxima!