Viv'ó 25 de abril!

26/04/2013 0 Maçãs
Hoje já acabei as minhas aulas na escola. Vim fazer teste de Matemática A, tive uma aulita de Filosofia sobre a justiça e agora vou ficar aqui para ter aula de Violino. Que sorte, hem?
 
Só foi pena o 25 de abril ter sido tão mal aproveitadinho... afinal, com um dia até bonzinho, estar a fazer exercícios da função quadrática, da função módulo, das transformações de funções e de tooooda a matéria que já demos até agora (e que devo ter errado na mesma no teste) foi... dececionante.
 
Vir ao computador e ver todas as mensagens que circularam no Facebook e nas restantes redes sociais sobre "a luta continua" e a Grândola Vila Morena... enfim, a Matemática perde algum do seu interesse quando se pensa nestas coisas.

Deixo-vos, então, uma das minhas músicas preferidas do Zeca Afonso, e... viv'ó 25 de abril!
 


















Zeca Afonso - A Formiga No Carreiro

 
Até à próxima! 

Os dias... passam :(

21/04/2013 5 Maçãs

Pronto, não há nada a fazer. Entrámos, definitivamente, num cenário de aulas, estudo, mais aulas, e... ainda mais estudo (ou, pelo menos, assim deveria ser). O cansaço já se começa a notar, a ânsia pela chegada das sextas-feiras também, e agora, pelos feriados que se avizinham. Não sei se será assim nas vossas cidades (provavelmente não), mas aqui para os leirienses este costuma ser um período bastante festivaleiro. Temos a Feira de Maio prestes a começar (agora com uma nova localização - já vamos poder ir à feira sem sujar o calçado todo  ), o 25 de abril, o 1 de maio, o 22 de maio, e é isso.

Nada mau, digo eu para mim própria. Nada mau. Claro que o 25 de abril vai servir para estudar Matemática, o 1 de maio para estudar Biologia e o 22 de maio para ainda-não-sei-o-quê (pode ser que dê para preparar um certo teatrinho de uma certa short story para uma certa aula de Inglês - não é, M. e J.?). 

Enfim. Enquanto nada disso chega, eu cá vou continuando com os meus... hum... precários estudos, nomeadamente para o teste de anteontem, de Física (passemos à frente!), para o concurso do Orfeão (oh lá lá, ainda não sei como é que consegui passar para a final!) e para os testes que se avizinham (para referência futura: Inglês, Português e Matemática A).

E agora, se não se importam, vou ali estudar a short story "The Hitchhiker", de Roald Dahl (sim, o autor de "Charlie e a Fábrica de Chocolate", por exemplo), para ficar mais descansada em relação ao teste de amanhã. 

Até à próxima!

P.S. Eh lá, até me esqueci de dizer que esta quarta-feira fui a uma visita de estudo! Ehehehe, os pormenores ficam para outra altura!

Questão semi-filosófica

07/04/2013 2 Maçãs

Às vezes, mesmo quando tudo parece estar a correr bem, sentimos que há qualquer coisa que não está bem. Pode acontecer na escola, em casa... seja onde for, ficamos com aquele "pressentimento" inquietante e incerto de que algo mau pode estar a acontecer, tanto no presente como no futuro.

Outras vezes, quando supostamente nos deviamos estar a sentir preocupados a propósito de qualquer coisa, sentimo-nos relaxados e confortáveis. Sabem, aquele momento em que estamos a aproveitar a companhia do sofá lá de casa, e alguém diz "Devias era estar a estudar ou a arrumar a casa! Depois queixa-te que não te deixo ir para o computador!" e nós continuamos sentados ou deitados, conforme a situação, completamente absortos nos nossos irrisórios pensamentos.

- asdfghj -

Passada esta pequena introdução de filosofia barata, passemos ao ponto da questão. Estou cheeeeeia de preguiça, e ainda que já tenha passado uma semana (bom, a sério, a sério, foram só três dias, pois as aulas só começaram na terça-feira e nesta sexta-feira quase metade da minha turma foi numa visita de estudo, logo, as aulas não foram a mesma coisa sem eles) ainda não me sinto bem no espírito de estudar e trabalhar no duro para tirar boas notas.

Enfim. Para me sentir melhor, estou a tentar convencer-me de que 1) não sou a única nesta situação e 2) vai passar brevemente, nem que seja porque os testes já estão quase aí.

Ceeeeerto?