Australopitecos e outros que tais

04/10/2009 1 Maçã

É verdade, História já anda a apanhar os corações dos jovens estudantes do 7ºA.

O que é certo é que já todos fomos apelidados de "macacos", "australopitecos" e, na minoria dos casos, "homo sapiens sapiens sapiens sapiens...".

Ora bem, eu pessoalmente acho que dentro desta colecção de Homo Sapiens Sapiens, o nosso nome científico (pelo que se diz), existem muitas mais divisórias de que nunca ninguém fala.

Cá para mim, existe também o Homo Enconcadus ou Homo Corcundus, como queiram chamar, que, obviamente, são todas aquelas criancinhas que às oito e meia da manhã vão para a escola com aquelas mochilas pesadíssimas atrás das costas.

E o resto... deixo para vocês inventarem.

1 Maçã

  1. Olá de novo!

    Tens razão, o peso das mochilas é terrível e daqui a uns anos vai, inevitavelmente, ter os seus efeitos na vida destas crianças e jovens. Parece que toda a gente fala sobre isso, mas ninguém com poder nas mãos faz alguma coisa sobre isso, para mudar essa situação. Só quando começarem a aparecer problemas de coluna, de ossos, de postura e outras coisas assim, daquelas que levam as pessoas a consultas, a baixas médicas e a tratamentos à custa do Estado, é que haverá pessoas a acordarem desta sonolenta inacção, desta acomodada forma de ver as coisas, deste "deixa andar". As editoras vendem livros e livros ao quilo. São manuais em vários volumes ao preço de livros científicos, por vezes com erros, gralhas e afins; são cadernos de actividades, muitas dessas actividades não chegam a ser realizadas, pois temos um ensino "às pitadas", principalmente no 3.º Ciclo: uma pitada de Inglês, uma pitada de Geografia, uma pitada de História, uma pitada de Físico-Química, duas pitadas de Língua Portuguesa e de Matemática, e por aí fora, já para não falarmos da venturosa Área de Projecto e do milagroso Estudo Acompanhado... e assim temos uma semana de aulas de um aluno do 3.º Ciclo, como bem sabes.

    Digo-te apenas mais uma coisa: eu conseguia perfeitamente ensinar Língua Portuguesa, pedindo apenas um caderno A4 e uma resma de folhas brancas (para ajudar nas fotocópias, se fosse mesmo preciso) e pedindo que comprassem um ou dois livros (a sério) de autores portugueses ou estrangeiros, que no fim do ano iriam para a prateleira da estante da sala ou do quarto, e não para uma caixa, como irão decerto muitos manuais (ou para o lixo, também acontece, de certeza). Mas quando chega Setembro já todos os alunos têm as mochilas repletas de manuais e já não chego a tempo de dizer: "Meninos, não é preciso comprar manual de Língua Portuguesa!" A própria escola não me veria com bons olhos, se tomasse esta atitude...

    Enfim, nota-se muito a minha amargura perante estas questões?

    Um beijinho para ti, Lagartinha. Uma vez mais, parabéns pelo teu espírito crítico, pelo teu sentido de humor, pela tua forma atenta de ver o mundo.
    Tudo de bom no 7.º ano!

    Gaivota Ditosa

    ResponderEliminar

Olá! Obrigada pelo teu comentário no Pomarão. :)